sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Estranho. Era pra mim ficar nervosa e aflita, deveria chorar ou tremer ou sentir meu coração na boca. Nada disso aconteceu. Costumava acontecer um tempo atrás, mas dessa vez foi normal. O mesmo abraço, o mesmo sorriso, a mesma mão na cintura, o mesmo cheiro e gosto, o mesmo assunto e as mesmas perguntas sem fundamento. Nada mudo.
Talvez tenha sido eu. Simples assim, eu mudei e tudo que eu sentia mudo também. Não, impossível. Meus sonhos são os mesmo, e meu jeito de pensar também, minhas vontades e desejos, meus medos e temores continuam ali, então não é isso. Mudei por fora, talvez.
Meu jeito de falar e olhar e viver, mais quem eu sou de verdade não mudou. Nada mudou nem o jeito dele, nem meu sorriso, nem a situação.
É, deve ter sido isso, depois de anos nada mudo. O amor é o mesmo, só que agora sem frescura, sem medo, sem mania. É simples e puro e natural. A mesma vontade que eu tinha antes sinto agora, o mesmo amor, só que dessa vez é essência e não capricho.
Essa vontade que tenho de te abraçar e nunca mais sair dali só aumenta, nada mudo. Só o amor que talvez cresceu e viro amor de gente grande com a loucura de um amor adolescente.


@anasiiqueiraa

2 comentários:

  1. Opa
    Legal teu blog, vou te seguir ai tambem...
    E visitarei mais seguido.

    Abraço

    Visita o meu se quiser...

    http://interatividadeoculta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. isso é mais comum do que se imagina
    díficil é encontrar pessoas que saibam se expressar tão bem..

    http://pense-resista.blogspot.com/

    ResponderExcluir