quinta-feira, 14 de abril de 2011

Sua escolha.

Ainda não sei bem o que é. Tô um pouco insegura com as pessoas, falo tudo pra todo mundo e acabo não falando nada pra ninguém. Simples assim.
Pensando bem em tudo que me vem aconteceu, pensando bem nas respostas que ouvir, nos conversas que de certa forma “forcei”, nos sorrisos e nos abraços sem graças e com um pouco de falsidade talvez, pensando em tudo que aconteceu e até onde isso tudo chegou, acho que na verdade nunca foi amor. Da minha parte sempre foi, mas algumas coisas me fazem acreditar que eu amei sozinha.
Que tristeza! Matar pessoas dentro de mim é sempre um porre, é sempre um drama, é sempre alguns meses de luto, mas depois passa. Mas bem depois, passa.
Vá pra algum lugar que eu não esteja, vá ser feliz com alguém que eu não conheça, vá viver sua vida longe da minha. Porque pra mim você morreu e mortos não ressurgem das cinzas. Eu te matei, em mim, por mim e talvez até por você.
Você não liga mesmo. Nunca se importo, nunca quis saber, nunca confiou, nunca. Perguntei com todo o coração e com tudo que tinha no momento: -Você ainda me quer por perto? E você respondeu com todo lixo tóxico que tinha dentro de você : - Eu não sei. E eu ouvir isso como um “eu não me importo”e então eu parti.

Um comentário: